Conversas sobre curadoria com Fernando Velázquez


Nós, dobras, abraços e esbarrões.


A produção curatorial e artística de Fernando Velázquez urge a extrapolação do convencional. Suas proposições podem nos levar a questionar, por exemplo, a significação de ‘lugar’ na arte ou mesmo questionar o uso devido de tecnologias e novas mídias.


O pesquisador/curador/mais um monte de coisas nos apresenta questionamentos que conversam com os de McLuhan, quando há alguns anos ele apontou sobre as capacidades da tecnologia como extensão do nosso corpo. Velázquez traz isso para o campo da arte, explorando o estranhamento do corpo e da tecnologia como potência artística, gerando novas configurações “corpo-máquina” com seus trabalhos.


Dentre sua diversificada produção multimídia, estão projeções de imagens geradas por algoritmos, performances audiovisuais, ações de colaboração entre artistas diversos e até mesmo objetos a serem explorados via realidade aumentada.


Isso faz parte de uma linhagem curatorial e plástica de Velázquez, que permeia o crescente campo das novas mídias e/ou intermídias. O curador busca instigar uma mediação curiosa entre o público e artistas, embaralhando saberes comuns e a arte enquanto ciência. Essas questões de mediação também atravessam o seu trabalho em instituições (como na Red Bull Station). Você pode conferir mais sobre a produção curatorial de Fernando Velázquez assistindo à essa entrevista na íntegra.


Fernando Velázquez é artista visual. Suas obras incluem vídeos, instalações e objetos interativos, performances audiovisuais e imagens geradas com recursos algorítmicos. Mestre em Moda, Arte e Cultura pelo Senac-SP, pós graduado em Video e Tecnologias On e Off-line pelo Mecad de Barcelona, participa de exposições no Brasil e no exterior. Tem organizado projetos e exposições desde 2007 e entre 2015 e 2018 foi o curador e diretor artístico do Red Bull Station em São Paulo.


Créditos:


Entrevista e Coordenação de produção: Ananda Carvalho

Fotografia e Edição: Luiz Will

Texto: Ananda Carvalho e Igor Degobi


Agradecimentos:


Fernando Velázquez

Besides the Screen Brazil 2019

Gabriel Menotti